11 9.4544-5445 | 11 9.9704-4872

Notícias


02/03/2015 - 22:27:58

Grande Prêmio Diana é de Cruiseliner

Considerado o páreo mais importante para toda uma geração de fêmeas nascidas no Brasil - tendo, ainda, um desdobramento paulista -, o Grande Prêmio Diana (gr.I), em 2.000m na pista de grama, para potrancas de 3 anos, foi disputado neste domingo (1º), na Gávea, em corrida válida pela 2ª Prova da Tríplice Coroa de Éguas. Confirmando a terceira colocação conseguida no GP Henrique Possolo (gr.I), levou a melhor Cruiseliner, filha de Wild Event e Quantia Exata (Trempolino), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud Estelinha.

Ganhadora da etapa inaugural, January Jones (Shirocco) foi a primeira a aparecer. Sua irmã paterna, e também vencedora de G1, Calêndula, era a segunda, e Cruiseliner, pela cerca, corria em terceiro. Energia Galileo (Agnes Gold) disputava o quarto com Birking Bag (Elusive Quality), enquanto que Desert Dream (Elusive Quality) corria em quinto. Depois vinham Darin (Peinte Celebre), Grazi (Shirocco), Caritzia (Elusive Quality), Leading Hat (Top Hat), Chocolatera (Signal Tap), Nossa Amizade (Pioneering), Garota da Barra (Good Reward) e Energia Garoa (Agnes Gold).


Em outra dobrada de Solanés, Cruiseliner levou a melhor no GP Diana (gr.I)
Fotografia: Gérson Martins

Com Desert Dream em avanços, a ponto de tomar a terceira colocação na altura da última milha, o lote descia a reta oposta, sempre liderado por January Jones. Calêndula continuava na segunda posição, e na briga pelo quarto vinham Birking Bag e Energia Galileo. Na outra extremidade do pelotão, Energia Garoa, num determinado momento, perdeu contato com as demais, ficando demasiadamente afastada em último.

Na curva, Carlos Lavor abaixou-se no dorso de Calêndula, que assim passou a atacar January Jones, que, no entanto, não abdicava da primeira colocação. Abordada a reta final, viu-se que January Jones trazia melhor ação, de fato, do que Calêndula. Acontece que, ao ser lançada entre as duas por Marcos Mazini, Birking Bag tomou de golpe a primeira colocação, a 450 metros do espelho. Ganhando rédeas de Ângelo Márcio Souza, Cruiseliner era outra que apresentava-se em busca da dianteira.

A 300 metros do disco, Cruiseliner passou por Birking Bag, e o mesmo fez Leading Hat, para quem Jorge Ricardo havia "costurado" uma passagem, pela parte de dentro do pelotão. Caritzia igualmente tentava embalar, a meio de pista. 

Na altura dos últimos 200 metros, muito embora houvesse, ainda, uma carga de Cartizia em jogo, a sorte da carreira estava visivelmente restrita às ações de Cruiseliner e Leanding Hat. E Cruiseliner, ao conseguir manter seu ótimo ritmo na primeira colocação, foi capaz de resistir às investidas adversárias, e assim cruzar o disco 3/4 de corpo à frente de Leading Hat.

Caritzia ainda foi a terceira, livrando vantagem mínima sobre Garota da Barra, que arrancou bem aberta para ficar com a quarta colocação. Também atrasada em escassa margem em relação à Garota da Barra, Birking Bag foi a quinta. 

Depois chegaram Energia Garoa, Grazi, Calêndula, Chocolatera, January Jones, Energia Galileo, Desert Dream, Darin e Nossa Amizade.

A exemplo do ocorrido na prova correspondente, destinada aos machos, Roberto Solanés voltou a dar "show". O profissional, além de mandar Cruiseliner à raia, em ótimas condições, também encilhou a segunda colocada, Leading Hat. Em 5 atuações, Cruiseliner obteve 3 primeiros lugares, sendo este o seu primeiro laurel clássico.

Os relógios pararam em 2:00.06.

Fonte: www.abcpcc.com.br



Voltar